sábado, 12 de setembro de 2009

Quem foi Laurentino Vieira?



Pedro (do Benjamim), Laurentino (Loro) e João Bosco (do Benjamim)


Iporanga chora e lamenta a morte de um de seus mais ilustres filhos, o querido e saudoso Laurentino Vieira, conhecido entre nós como "Nho Loro" fato ocorrido no dia, 04 de agosto, em Itapetininga, onde viveu seus últimos anos. Perdemos um grande amigo, homem de caráter exemplar, boa pessoa, cristão de alma pura, ex-vereador, associado a entidade filantrópica São Vicente, que socorreu os idosos e necessitados na época que não havia amparo social para quem não contribuía para a previdência. Lembrado também como músico, figura, indispensável na Lira Iporanguense, foi goleiro da esquadra de futebol local, que fez histórias em tempos remotos, teve uma vida dedicada ao trabalho, ele foi o braço forte da construção da estrada Iporanga - Apiaí, onde permaneceu trabalhando na conservação da rodovia até se aposentar. Teve vários filhos, que conseguiu educar, fazer deles pessoas de bem e realizadas. O senhor Laurentino foi para a nossa velha-guarda uma referência.
Ficou para nós a certeza de que ele deixou o seu dever cumprido. Diante de tudo isso, para sua família, as nossas condolências, quanto ao nosso amigo temos certeza que ele já se encontra contemplando a face de Deus. A Câmara Municipal de Iporanga prestará homenagem a este importante cidadão na próxima seção a ser realizada. Neste momento, ele sai deste mundo para entrar na nossa história onde jamais será esquecido.


Núcleo Caboclos

Foto Junior Petar 09/09


No centro deste gramado, era a residência e pousada de tropeiros, que pertencia ao meu bisavo José Henriques Corrêa ( Juca Cabloco, apelido que recebeu por usar chamar todos por "CABOCLO" como forma de tratamento). Aí nasceram e viveram, meu avo Honório H. Corrêa (Honório Caboclo apelido herdado do pai)(foto ao lado Honório Corrêa e eu, na praça Honório Corrêa), o irmão João Henriques Corrêa, que descobriu a Caverna em 1890 e os outros seus dois irmãos Antoninho e José, também chamados Cablocos e as irmãs... várias, uma delas Cândida casada em 1896, com Justino Mendes Torres, Neto de Nuno Mendes Torres um dos fundadores de Iporanga.
José Henriques Corrêa, (o Zé Caboclo filho do Juca Cabloco, o primeiro Cabloco, de onde originou o apelido, teve por primeira esposa Catarina de Moura Rollim bisneta de José Rollim de Moura um dos fundadores de Iporanga. No bairro Cablocos( Nome dado ao antigo bairro por ser a casa da família Cablocos ) Nasceram também minha mãe e todos os meus tios e viveram ali até 1940, quando mudaram-se para a sede da vila. A Caverna foi adquirida pelo governo no começo do século passado junto com a Caverna do Diabo, até hoje temos cópia do documento de compra feito na ocasião pelo estado. 90% da área do parque estavam na propriedade de Salvador Henriques( Sobrinho de Tomaz Dias Baptista, o primeiro deste sobrenome, nascido em Iguape, viveu em Iporanga e casou em Apiaí, com a maior proprietária de escravos do morro do ouro, morreu em 1802) Salvador, segundo as escrituras lavradas pelo padre Bernardo de Moura Prado, abriu posse das terras em 1831, mandou para o local extremo da propriedade no local então denominado Sertão; o filho Hilário, e quando faleceu Salvador Henriques, em 1864, após os funerais, quando foi sepultado no adro da igreja matriz de Santana. A viúva Dona Maria Luiza conhecida por Maria Oríves, por ser ótima profissional na arte de trabalhar com ouro, mandou que o filho José H. Corrêa acompanhasse o irmão dele, mais velho, o Hilário. (José o que viria a ser "O Caboclo", e que era o caçula ecom apenas 9 anos de idade, a morar com o irmão Hilário no bairro Sertão), (Outro irmão Joaquim Henriques Corrêa, ficou com a mãe e alguns anos depois mudou-se para a cidade paranaense de Bocaiuva do Sul, onde fez fortuna, faleceu solteiro naquela cidade e embora o último herdeiro Honório Correa estivesse sido procurado para fazer o inventário, ele nunca foi, deixando os bens a revelia). Ocupava também uma área vizinha Benedito Henriques, filho natural de Salvador Henriques com uma escrava em Apiaí de Rita de Oliveira Rosa esposa deTomáz Dias Baptista. Esse filho era livre por ter Salvador comprado sua liberdade. Benedito morreu só. Diziam que tinha muito ouro enterrado; mas indagado sobre o tesouro no leito da morte respondeu: - "A terra deu a terra leve".

17 comentários:

  1. Beto.
    Eternizar as personagens importantes que ajudaram a construir a história de Iporanga, é fundamental para que não se perca sua autenticidade. As superações que todos tiveram perante as dificuldades que viveram, são exemplos a ser seguido. Sugiro que vc faça um levantamento político de todos os Prefeitos indicados e eleitos de Iporanga, destacando sua biografia. Isso é altamente rico e indispensável para se entender e se conhecer ainda mais, nosso Município e nossas personalidades. Mais uma vez, parabéns pelo trabalho e pela excelente iniciativa.

    ResponderExcluir
  2. Evaniel
    Obrigado pelo comentário e pela sugestão, a sua colaboração é muito importante e motivadora. Os prefeitos serão prioridade para a próxima postagem.

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante esse blog,essas fotos antigas despertam nossa curiosidade sobre o passado da cidade,os textos estão muito bem elaborados,
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Gostei desse resgate histórico.Apenas precisa ser atualizado o Número de religiosas para a vida consagrada filhas de Iporanga.Atualmente são 2 religiosas e uma formanda da congregação das Irmãs Franciscanas do Coração de Maria.Muitas ainda termos para a serviço do Reino de Deus. Parabéns pela iniciativa. Irmã Nádia Maciel da Silva

    ResponderExcluir
  5. Nádia obrigado pelo comentário, gostaria de você seguisse o blog e que continue a participar, concordo com a sua observação sobre o nº de religiosas para até os dias de hoje, como também para os padres Iporanguenses além do Monsenhor Oscar e o Padre Antonio Pereira da Silva, outros que eu ainda não tive tempo prá escrever a respeito, como por exemplo os padres Bento e Anacleto Dias Baptista filhos de Tomaz Dias Baptista, o João Desidério, o padre Élcio, o padre Joca, o padre Joaquim. Tem a sua carreira a da Ir. Doroti que escreveu duas cartas bonitas para nós.
    Um abração Ir. Nádia

    ResponderExcluir
  6. Obrigado Pastor. A sua opinião é muito importante. Quero continuar contando com a sua participação.

    ResponderExcluir
  7. Seu Beto
    Parabéns que la iniciativa e pela grandiosa obra de recopilação e publicação da rica e grande, mas quase esquecida história de Iporanga.
    Tomara que a divulgação seja boa e ajude às novas gerações a não esquecer a história e a valorizar seus origens.
    Uma curta contribuição: a irmã Nadir, é da Congregação das Missionárias Servas do Espírito Santo ( que foram fundadas pelo mesmo fundador dos Missionários do Verbo Divino: Santo Arnaldo Janssen)
    Grande abraço para você e a sua família. Até mais!!!

    Frt. Roberto Gallardo S.,svd

    ResponderExcluir
  8. SAUDAÇÕES SANTISTA AMIGO BETO...
    OLÁ BETO SOU O ALESSANDRO FILHO DO HENRIQUE(NEGO CABEÇA BRANCA).
    FICO SEM PALAVRAS PARA DESCREVER O TAMANHO QUE É A MINHA EMOÇÃO EM PODER COMPARTILHAR COM TODOS A HISTORIA DA NOSSA QUERIDA CIDADE.
    VER IMAGEM DO MEU PAI E AVÔ SR° HENRIQUINHO NO SITIO ALAMBARI FOI INCRIVEL...
    AH NÃO ESQUEÇA QUE O MEU TIO DITO FOI O AUTOR DO HINO DA CIDADE QUE LETRA LINDA!
    ABRAÇO E FIQUEM TODOS COM DEUS.

    ResponderExcluir
  9. Olá Alessandro!! Obrigado pela participação. O nosso time dispensa comentário. Quanto ao Blog continue seguindo, porque na medida em que vai me sobrando tempo eu vou escrever mais coisas e também dar destaque para a linda música de Iporanga composta pelo Dito.

    Um abração prá vocês.

    ResponderExcluir
  10. E aí beto!!! cara muito bom esse blog..quanta informação!!parabéns!! o melhor que vi até agora, cultura pura..mais uma vez parabéns!!!que tal uma matéria sobre os violeiros antigos de iporanga???
    abraçosss

    ResponderExcluir
  11. Olá Niltinho! Obrigado pelo apoio. Não esquecerei dos nossos antigos e também dos novos violeiros...
    Abrçs.

    ResponderExcluir
  12. OLÁ ALBERTO DE UMA OLHADINHA NO SITE E NO BLOG QUE ESTOU CRIANDO, VAMOS FAZER UMA PARCERIA EU TE DIVULGO NO MEU E VOCÊ ME DIVULGA DAÍ, ALIAS JA ESTOU TE DIVULGANDO DE UMA OLHADINHA ABRAÇOSS!!!

    http://niltonflorindo.blogspot.com/

    http://niltonflorindo.webnode.com.br/

    o seu blog é cultura pura..

    ResponderExcluir
  13. SEU BLOG ME FAZ LEMBRAR DE UMA CIDADE ALEGRE, ANIMADA, MUITAS FESTAS TRADICIONAIS...TAVA PESQUISANDO E PECEBI QUE A POPULAÇÃO DE IPORANGA VEM DIMINUINDO DE UMA FORMA ASSUSTADORA MUITO RÁPIDO...EU SEMPRE ME PERGUNTO DE QUEM É A CULPA??? MAS CONTINUE AÍ FIRME E FORTE, MOSTRANDO QUE IPORANGA É E SEMPRE SERÁ A NOSSA CIDADE E QUE NINGUÉM É DONO DELA...

    ResponderExcluir
  14. parabens, por ter criado este blog, que fala de nossa linda historia,
    iporanga e a melhor cidade do nosso vale, pena que quem administra não acha o mesmo, pena......, mais o seu blog e muito bom. um forte abraço.

    ResponderExcluir
  15. Eu gostei das historia da nossa cidade. ASS: Moacir jesus dos santos

    ResponderExcluir